Artigos

Consumidores estão mais comprometidos com suas dívidas

A Serasa Experian informou nesta terça feira (14) que a inadimplência do consumidor teve a segunda queda consecutiva esse ano. O recuo mensal foi de 1,5% em julho com relação ao mês de junho. É a segunda vez em 13 anos que essa variação negativa acontece, visto que o movimento é atípico para esse período do ano.
Em julho de 2005, houve recuo mensal de 3,9%. Foi também a segunda queda mensal consecutiva do indicador, pois em junho de 2012 houve queda de 0,5% ante maio.
Em comparação com o mês de julho de 2011, a inadimplência aumentou em 10,5%, no entanto o crescimento foi o menor desde julho de 2010, segunda a Serasa.

No cumulado do ano até julho do ano passado a inadimplência cresceu em 17,8%. Em 2011, no mesmo período, comparado com 2010 o crescimento percentual foi de 22,5%.
A inadimplência do consumidor cresce no mês de julho devido aos parcelamentos de compras feitas em razão das datas comemorativas dos meses anteriores e dos gastos com as férias escolares. Esse ano, no entanto, houve queda devido ao comprometimento dos consumidores com suas dívidas, aos juros mais baixos e aos lotes recordes de restituição do Imposto de Renda que colaboraram para o pagamento das contas, evitando o aumento da inadimplência.         
A redução da inadimplência nas dívidas com os bancos puxou a queda do indicador da Serasa em julho, com variação negativa de 4%. Já o atraso no pagamento das dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviço como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) cedeu 0,8%. Já os títulos protestados e os cheques sem fundos tiveram variações positivas e contribuíram para que a inadimplência do consumidor não caísse ainda mais em julho.

 

Fonte: Exame.